desenvolvido por: 

parceiros: 

50 - BATATA DE PERDIZ

Sinningia allagophylla (Mart.) Wiehler (GESNERIACEAE)

50- Batata-de-perdiz – Sinningia allagophylla (Mart.) Wiehler (GESNERIACEAE)

Erva rupícola ou terrestre, de 15cm, anual, ereta, verde a avermelhada, com tubérculo. Folhas verticiladas, às vezes opostas ou alternas, com 4 a 10 × 1,5 a 3 cm, arredondadas e agudas no ápice, margem ondulada, face superior com muitos pelos macios, face inferior com poucos pelos. Flores em grupos, de 10 a 20 cm, com flores isoladas, de formato característico, vermelho-alaranjado, cobertas de pilosidade, com as mais velhas embaixo e as mais jovens acima.

 

Distribuição: Bem típica de formações campestres de cerrado e afloramentos rochosos da mata atlântica, nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

Situação em São Paulo: Difícil de ser vista, parece ser rara na cidade. A maior chance de visualização ocorre no começo da primavera, quando saem seus brotos e flores. No outono ela já perde a parte aérea e dorme no inverno, desaparecendo completamente. Uma razão de parecer rara na cidade, mas tenho visto em vários lugares diferentes.

Como plantar: O transplante, trazendo a planta com o rizoma intacto, em forma de bola, é fácil. É muito adaptada a um solo ácido, deficiente em nutrientes e com alto teor de alumínio, ou seja, o solo vermelho do cerrado, mas aceita bem um pouco de materia orgânica.

Usos: De aspecto suculento, com grande potencial para cultivo como ornamental.

 

CHAUTEMS, A. (COORD.) GESNERIACEAE IN: WANDERLEY, M.G.L. ET AL. FLORA FANEROGÂMICA DO ESTADO DE SÃO PAULO. INSTITUTO DE BOTÂNICA, SÃO PAULO, VOL. 3, PP: 75-104, 2003.