desenvolvido por: 

parceiros: 

34 - DORMIDEIRA

Mimosa pudica L (Leguminosae)

34- Dormideira – Mimosa pudica L (Leguminosae)

 

Subarbustos, de crescimento prostrado, de caule verde ligeiramente avermelhado, recoberta por espinhos finos e persistentes. Folhas compostas, com espinhos na nervura central que os conecta, folhas com 6 a 20 pares de folíolos, de aproximadamente 0,5 a 1 m, ovais e oblongos. As flores nascem em grupos na axila das folhas, na cor rósea, arredondada, com aparência de “pompom”, com espinhos na haste. Fruto do tipo vagem, com espinhos.

 

No meio ambiente urbano o cerrado corre perigos. Um deles são os jardineiros da prefeitura que cortam tudo entre o gramado e a copa das árvores. Por algum motivo o Cerrado Infinito sempre contou com a sorte de algum protetor aparecer de última hora impedindo o corte; numa dessas vezes fui eu que tentei convencê-los. A conversa começou difícil, mas consegui levar o chefe deles para mostrar as plantas; embora a princípio ele estivesse bastante indiferente, mudou instantaneamente com a dormideira. Ao tocar suas folhas sensitivas, lembraças borbulhavam na sua mente sobre sua infância em Pirituba, quando ainda eram comuns por lá. O marmanjo com certo olhar marejado, não parava de tocar nas folhas pra vê-las fechar e, no fim, pediu para conversarmos com seus superiores, que nos sugeriram fazer um termo de cooperação evitando incidentes.

Distribuição: América Latina, em campos abertos, áreas ensolaradas e ambientes perturbados pelo homem.

Situação em São Paulo: Ocasionalmente ocorre em terrenos baldios.

Como plantar: As que temos no Cerrado Infinito foram doadas pela loja de jardinagem vizinha, que as comercializa eventualmente. Se reproduz facilmente a partir de sementes, basta plantar e regar.

Usos: Planta ornamental, espinhosa, que possui a incrível capacidade de mover-se instantaneamente quando tocada, de efeito curioso e muito atrativo para crianças, apesar dos espinhos.

 

DAVID, M.; GONÇALVES, K. G.; NETO, G. G. A SUBFAMÍLIA MIMOSOIDEAE PARA A FLORA DE MATO GROSSO, BRASIL. BIODIVERSIDADE, V. 14, N. 3, 2015.

DUTRA, V. F.; GARCIA, F. C. P. MIMOSA L.(LEGUMINOSAE-MIMOSOIDEAE) DOS CAMPOS RUPESTRES DE MINAS GERAIS, BRASIL. IHERINGIA, SERIE BOTÂNICA, V. 69, P. 51-90, 2014.

SILVA, J. S.; DE SALES, M. F. O GÊNERO MIMOSA (LEGUMINOSAE-MIMOSOIDEAE) NA MICRORREGIÃO DO VALE DO IPANEMA, PERNAMBUCO. RODRIGUÉSIA, P. 435-448, 2008.