desenvolvido por: 

parceiros: 

14 - SENA EMPENADA

Chamaecrista desvauxii var. latistipula G.P.Lewis (LEGUMINOSAE)

14- Sena empenada – Chamaecrista desvauxii var. latistipula G.P.Lewis (LEGUMINOSAE)

 

Subarbusto de até 1,4 m de altura, ereto, pouco ramificado. Folhas de 5 a 8 cm de comprimento, arredondadas, sem pelos, textura de papel cartão e coloração característica. Flores de 3 a 6 cm de comprimento, amarelas como muitas leguminosas. Sementes em legumes de até 5 cm de comprimento por 0,5 cm de largura, com sementes de 0,4 cm x 0,2 cm, retangulares.

A cor verde azulada e a forma coberta de “escamas”, em contraste com a cor da terra vermelha ao fundo, era tão esquisita que parecia que estava explorando uma flora de Marte. Também as flores amarelas se destacavam, e a luz do fim da tarde criava uma atmosfera que completava o efeito. Realmente a sena empenada é uma planta nativa tão distante do cotidiano que parece de outro mundo.

Os antigos exploradores naturalistas que atravessavam o planeta em busca de novidades se deparavam com coisas que hoje são comuns, mas imagine o primeiro europeu que viu um tamanduá e seu trabalho para descrevé-lo para os outros. Hoje muita coisa é acessível, podemos viajar, comprar e ver novidades, e nos acostumamos a um ritmo de estranhamento constante. O exótico passou a ser acessível nas prateleiras de um supermercado.

Distribuição: América do Sul, em campos abertos e ensolarados.

Situação em São Paulo: Comum, encontrada em fragmentos de cerrado. Se reproduz muito em alguns lugares, formando grupos grandes, e é fácil de visualizar em beira de estradas.

Como plantar: Coletam-se as vagens e retiram-se as sementes para simplesmente enterrar e regar, sem precisar de uma terra especial. Já vi nascendo e se desenvolvendo bem no meio de entulho. Pode se transplantar mudas novas, que crescem muito rapidamente na beira da planta mãe em sol pleno.

Usos: Recomendada para restauração ecológica por ser leguminosa nativa e pouco invasora. Grande potencial ornamental não dá para entender por que não é vista normalmente em jardins.

 

DANTAS, M. M.; SILVA, M. J.. THE GENUS CHAMAECRISTA (LEGUMINOSAE, CAESALPINIOIDEAE, CASSIEAE) IN THE SERRA DOURADA STATE PARK, GOIÁS, BRAZIL. RODRIGUÉSIA, V. 64, N. 3, P. 581-595, 2013.
DURIGAN, G. PLANTAS DO CERRADO PAULISTA: IMAGENS DE UMA PAISAGEM AMEAÇADA. PÁGINAS & LETRAS EDITORA E GRÁFICA, 2004.